domingo, 13 de março de 2011

E agora?!

Eu, que vinha implorando por mudanças, estou aqui sentada nessa montanha-russa que, depois de uma longa, cansativa e entediante reta, engrenou numa subida incrível, seguida por espiral longo e apertada e eu estou indo numa velocidade que, ao mesmo tempo em que me permite ver tudo a minha volta, embrulha meu estomago de um jeito que eu não sei se vou agüentar chegar ao final da volta.
Não são exatamente os loopings que me deixam enjoada, ou mesmo me fazem pensar em parar, o que eu simplesmente não suporto e não saber onde isso vai dar, afinal ninguém gosta de viver as voltas, hora com as coisas no lugar, hora com tudo de pernas por ar. Qualquer pessoa minimamente normal gosta de pisar no chão firme, por que raios eu não iria querer o mesmo? Nem sou tão perturbada assim...
Ai como eu queria falar disso tudo de forma mais clara... Mas não posso, não dá e não é por nada que me impeça, simplesmente não há um jeito de fazer isso...

Borboletas não são comestíveis... 

2 comentários:

Júlia Taddeo disse...

mas eu gosto de comer borboletas.





acho que ninguém gosta dos extremos, certo? :]
mas aproveita e solta as mãos dos ferros e curta a viagem :D

Mii disse...

Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo - quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação.

- Clarice Lispector


Acho que isso explica tudinho!


Beiijos